Roteiro da Beira Interior

 Roteiro da Beira Interior

Roteiro da Beira InteriorA região da Beira Interior situa-se no centro de Portugal, entre o rio Douro a norte e o Rio Tejo a sul, fazendo fronteira a Este com a vizinha Espanha.
Esta região acolhe um misto de cidades industrializadas e aldeias históricas, planaltos e serras por onde correm rios, cascatas e lagoas de água gélida e cristalina. Região de intensa procura turística, especialmente de Inverno, quando a neve cai sobre as casas beiras, oferece, simultaneamente, natureza e história.

A Beira Interior é constituída pela Beira Alta com a cidade da Guarda como capital de distrito, e a Beira Baixa com a cidade de Castelo Branco como capital de distrito.

Segue-se uma descrição do ponto de vista morfológico, clima, flora, população e paisagens agrárias da Beira Baixa gentilmente cedida pelo StreS'sNet Blog

Beira Baixa

A região da Beira Baixa estende-se desde a Cordilheira Central até ao vale do rio Tejo. É uma região de transição norte-sul, com características geográficas idênticas, em certos locais, às regiões nortenhas e noutros sítios ao Alentejo.
A Noroeste, onde ainda abrange parte da Cordilheira Central, é acidentada e montanhosa, destacando-se os contrafortes meridionais das serras da Estrela e Lousã e a serra da Gardunha, esta última separada da serra da Estrela por uma longa e larga zona deprimida vulgarmente conhecida por “Cova da Beira”, drenada pelo rio Zêzere.

Beira Interior - Cova da Beira

Vista parcial da área fértil da Cova da Beira.

 

Para Sul estende-se uma vasta e monótona planície (planície de castelo Branco, como por vezes se chama), da qual emergem algumas colinas e pequenos relevos montanhosos dispersos. As rochas dominantes nesta região são o xisto (que ocupa a maior superfície) e o granito.
Clima:
O clima da Beira Baixa é o Temperado Mediterrâneo, com Verões muito quentes (excepto nas terras altas da zona norte) e Invernos suaves (excepto também nas áreas nortenhas elevadas). As precipitações são abundantes nas áreas montanhosas da Cordilheira Central, mas diminuem rapidamente para Leste e Sul, onde a secura é bastante acentuada.
Flora:
O pinheiro-bravo é a espécie arbórea dominante nesta região, onde cobre as vertentes montanhosas e muitas áreas baixas. No Sueste, muito seco, surgem já algumas manchas de sobreiros e azinheiras, a fazerem lembrar a proximidade do Alentejo.
A população:
Tal como noutras regiões do interior de Portugal Continental, a densidade populacional média é baixa, reduzindo-se, de um modo geral, de Oeste para Leste e de Norte para Sul. Trata-se também de uma região onde, desde há muito, a população absoluta tem vindo a conhecer um acentuado decréscimo, devido não só ao crescimento natural negativo (fruto da diminuição da natalidade) como ao êxodo rural (saída da população do campo para as áreas urbanas) e emigração externa (especialmente França e Alemanha).
Paisagens agrárias:
No Norte da Beira Baixa, ao longo das áreas que marginam os rios os rios e ribeiras, onde a água é abundante e o solo mais ou menos fértil, dominam os campos fechados e de pequenas dimensões (minifúndios), nos quais se pratica uma agricultura intensiva policultural (sem descanso do solo e com várias espécies vegetais em simultâneo). As culturas herbáceas (milho, batata, produtos hortícolas diversos, etc.) justapõem-se à cultura da vinha e de pomares (pêssegos, maças e peras, essencialmente)

 

 

Serra da EstrelaBeira Interior - Serra da Estrela

O ponto mais alto de Portugal Continental, com 2000m de altitude, oferece paisagens fantásticas, podendo alcançar, da
Torre, uma vista de quase metade de Portugal. O Inverno traz milhares de pessoas a esta serra quê, coberta
de neve e com estâncias de férias e pistas de ski devidamente equipadas e a altas altitudes, oferece as melhores condições para a prática dos mais diversos desportos de neve.
Também com um incomparável encanto a Lagoa Comprida, o Lago Viriato, a Nave de Santo António, e os penhascos monumentais dos Cântaros, recortados pelo jorro das fontes e das nascentes dos maiores rios portugueses: o Mondego e o Zêzere. Durante todo o ano, a região permite o encontro com uma natureza em passeios todo-o-terreno, a cavalo, a pedalar ou em caminhos traçados em paisagens únicas.

Aldeias Históricas de Portugal

É na Beira Interior que se localiza a maior parte das «Aldeias Históricas de Portugal».
São núcleos urbanos, com fundação anterior à nação portuguesa, geralmente erguidos em terras altas e com grande importância histórica.
O destaque é dado a Monsanto, uma das aldeias mais típicas do país, onde o registo de presença humana remonta ao Paleolítico
e à aldeia de Almeida que constitui uma riqueza histórica e patrimonial assinalável. No limite norte da região encontramos Castelo Rodrigo, povoação fortificada desde a mais remota antiguidade, a vila de Trancoso com as suas judiarias, e Linhares, cuja origem da povoação remonta provavelmente a 580-500 a.C.. Ainda Belmonte, vila tão antiga como Portugal, Sortelha, Idanha-a-Velha, e Marialva, aldeias conhecidas pela sua beleza natural e pelos vestígios históricos que encerram.

  Beira Interior - Aldeia de Monsanto Beira Interior - aldeia de Idanha-a-Velha

GuardaBeira Interior - Guarda

Guarda é a cidade mais alta de Portugal com uma panorâmica sobre os vales do Mondego e do Côa. O centro histórico da cidade, com oitocentos anos, é um hino ao granito cantado na arte romântica da Capela do Mileu, no estilo gótico e manuelino da sua Sé Catedral,  ou nas ruas, praças e muralhas da sua cidade medieval. A Praça Velha é, desde o século XII, o coração da cidade onde está, entre outros, o edifício manuelino da antiga Câmara. Cidade fantástica para passear através de torres e muralhas, jardins e igrejas artísticas ou descobrindo uma colecção de relíquias medievais e renascentistas.

Judiaria de Belmonte

Beira Interior - BelmonteDepois de séculos de organização judaica em segredo é, nos anos vinte do século passado, anunciada a existência de uma comunidade no interior de Portugal, junto à Serra da Estrela: Belmonte. Terminadas as perseguições da Inquisição e os processos de integração católica que diluíram a totalidade das comunidades existentes, veio a descobrir-se que nesta vila estavam vivas as tradições, a organização e a estrutura religiosa dos últimos judeus secretos de Portugal. Belmonte é a última comunidade peninsular
de origem Cripto-Judaica a sobreviver enquanto tal, possuindo sinagoga, rabino e cemitério próprio.

CovilhãBeira Interior - Covilhã

Na vertente Sudoeste da Serra da Estrela, a Covilhã é um dos principais centros urbanos do país. E uma cidade com características muito própria, como a tradição de trabalhar a , que hoje se reflete principalmente em modernas unidades industriais, é um centro universitário e tecnológico onde se sedia a Universidade da Beira Interior, é ainda a cidade mais próxima da estância de Inverno onde se localizam as únicas pistas de esqui portuguesas.
Aos seus pés desenvolveu-se um riquíssimo e fértil vale de grandes aptidões frutícolas, com cereja, pêssego, maçã e
pêra e aptidões vinícolas, chamada a Cova da beira.

Beira Interior - Lince na Serra da MalcataSerra da Malcata

A Serra dá Malcata, com cerca de 1075 metros de altitude, situa-se entre os concelhos do Sabugal e de Penamacor.
Nela está contida a Reserva Natural da Serra da Malcata, hoje também parte da Reserva Biogenétiça do Conselho da Europa, criada em 1981 com o principal objectivo de proteger o lince ibérico, uma espécie em vias de extinção. A serra da Malcata ainda é considerada um dos últimos refúgios naturais do território português guardando no seu interior interessantes valores botânicos e faunísticos.

As Colchas de Castelo BrancoBeira Interior - Colcha de Castelo Branco

De inspiração oriental, ás colchas de Castelo Branco são conhecidas desde meados do século XVI, e foram, durante séculos, a dignidade do enxoval de qualquer noiva desta região, fosse ela plebeia ou nobre. O pano de linho, bordado com fio de seda, em desenhos com uma simbologia singular, uns representando o lar e a árvore da vida, ou através de pássaros juntos em representação dos noivos, ou ainda os encadeados que representam a cadeia indestrutível do matrimónio. Orgulho da cidade, as colchas típicas de Castelo Branco, podem ser encontradas em exposição e fabrico no Museu Tavares Proença Júnior. Estas peças de antiguidade chegam a valer dezenas de milhares de euros.

 

Gastronomia

A gastronomia serrana agrada a todos, entre os vinhedos e as adegas, ao Queijo da Serra que se pode provar em qualquer feira de queijos da região, envolvido numa fatia de pão de centeio. Este queijo, conhecido internacionalmente,
é produzido unicamente com leite de ovelha de raça Bordaleira, coalhado por uma flor característica da região. São também sobejamente conhecidos os enchidos desta região, o cabrito assado, as trutas, a panela no forno, prato típico da Covilhã, o arroz de carqueija e a doçura do requeijão com doce de abóbora que completam os sabores da gastronomia regional.

 

Agradecimentos:
StreS'sNet Blog
Turismo da Serra da Estrela